quarta-feira, 27 de julho de 2011

Lido: A Rosa Negra

A Rosa Negra (bib.) é um conto de Sacha Ramos que mistura ficção científica com uma espécie de romantismo extemporâneo. Ambientada numa Cascais futurista, no seio de uma família enriquecida por um negócio de produção de rosas geneticamente manipuladas (informação essa que nos é entregue por intermédio de um infodump inicial), a história conta um dramalhão dos antigos, cheio de sentimentos arrebatadores, crime, traições familiares e morte, bem ao gosto do século XIX. Faca e alguidar. O resultado é estranho e incongruente, piorado por uma série de diálogos bastante fracos e pelo facto de que, depois de descodificada a inspiração novecentista do texto, tudo se torna muito previsível. Achei o todo muito fraquinho. Claramente o pior conto do livro até agora.

1 comentário:

  1. Quando li este conto no "Imaginários 2", fiquei exactamente com a mesma opinião.
    Até tinha potencial, mas tanto a voz narrativa como a fluidez da história não foram as melhores

    ResponderEliminar