quarta-feira, 19 de novembro de 2003

Spamesia (198)

Spamesia (198)

Como costuma acontecer todas as semanas, à segunda-feira que foi anteontem seguiu-se a terça-feira que foi ontem. Estranhamente, ou talvez não, também ontem recebi spam, 62 mensagens de spam, e a perplexidade, ou talvez não, continuou quando reparei que quase todas tinham títulos mas só uma se chamava "Listen, do you want to know a secret?????". Não liguem aos que se segue: eu às vezes tenho destas crises de descrença na existência de tudo o que me rodeia. Hão-de convir que não é difícil chegar à conclusão de que o chamado "mundo real" não passa de um produto da imaginação doentia de cada um, não é verdade?

Ouve, queres saber um segredo?

Ouve, queres saber um segredo?
Não tenhas medo
não é nada que te possa pôr em perigo
eu, afinal, sou teu amigo
nada farei para te levar a um lugar
mais próximo da lâmina de uma navalha

Então cá vai o tal segredo
Tudo o que tu pensas sobre o universo é falso
Não há espaço nem matéria e o tempo é ilusão
que passa dia a dia do passado que não existe
para o futuro que também não
a única coisa que existe realmente
é um instante invisível de presente
e uma determinada configuração
em eterna mutação
de partículas com nomes tão estranhos
que desconfiguram as bocas que tentam pronunciá-los

Tu próprio não passas de um fluxo
formado pela soma de milhares de outros fluxos
e refluxos
uma configuração relativamente estável de instabilidades
e que só existe no momento do presente
(pois nada pode existir em lugares que não existem
como o passado
ou o futuro)

E tudo o resto és tu que crias
nos recôncavos sombrios da tua imaginação
És tu o teu próprio deus
Tu, só tu, tens nas mãos todos os poderes

E é este o segredo
Espero que não te perturbe o sono

Sem comentários:

Enviar um comentário