quarta-feira, 25 de maio de 2011

Lido: Às Vezes eu os Vejo

Às Vezes eu os Vejo (bib.) é um conto de Saint-Clair Stockler que recupera um velho tema: o do contacto com inteligências extraterrestres. A protagonista, uma jovem que vive nos limites duma pequena cidade brasileira, é a única a ver estranhas criaturas antropomórficas e muito brancas que aparecem entre as árvores nas traseiras de sua casa. Mas o conto não se dedica muito a explorar estas visões, antes vagueia por uma caracterização da protagonista e do seu ambiente mais detalhada do que é hábito na FC, incluindo fraquinhos amorosos e outras relações sociais. O conto, literariamente, é interessante. Está bastante bem escrito e vai levando suavemente quem lê pelo enredo fora. Mas para um apreciador de FC, e em especial para um apreciador de FC que é biólogo de formação, tem algumas falhas importantes. Não direi qual é a pior de todas porque estaria a revelar o final, mas digo que há aqui uma recuperação de alguns clichés da FC mais próxima das histórias ufológicas (se bem que o conto também brinque com outros géneros além da FC, incliuindo mesmo o velho fantástico em versão todoroviana, o que até tem o seu interesse) que a meu ver melhor seria serem deixados em paz. O conto vale pela qualidade da escrita, mas tenho pena que essa qualidade não tenha sido aplicada a outro tema e a outra história.

Sem comentários:

Enviar um comentário