domingo, 16 de novembro de 2014

Lido: A Lua-de-Mel de Ouro

A Lua-de-Mel de Ouro é um conto de Ring Lardner que, à semelhança do anterior, comecei a esquecer demasiado depressa, de novo menos por defeito do conto do que por ser pouco do meu interesse pessoal. Trata-se de uma história ternurenta e vagamente divertida sobre um velho casal reformado que faz uma viagem pelos Estados Unidos e a certa altura encontra um antigo conhecido da mulher. A história é contada na primeira pessoa pelo velhote, que como todos os velhotes tem as suas manias (uma delas é a precisão nos horários), chama "Mãe" à mulher e não para de dizer que não se pode discutir com ela, o que ao fim de algum tempo se torna algo cansativo. Como ele próprio se tornaria, caso fosse de carne e osso e não de tinta e ideias.

O conto é suave e, como disse, vagamente divertido. Descreve as peripécias das férias do casal ao longo de vários dias, as irritações mais ou menos rabugentas do velhote, entre sedes dos rotários e partidas de damas e dominó. O ambiente e um certo ar melancómico fez-me lembrar vivamente um filme com o Jack Nicholson como protagonista: About Schmidt. Não é um mau conto mas, lá está, não é dos contos que perdure na minha memória.

Sem comentários:

Enviar um comentário