quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Opiniões pessoalíssimas e intransmissíveis, segunda parte

Continuando onde fiquei ontem, aqui vão as minhas notas sobre a segunda dezena de artigos. Hoje são só dez; não tenho forças para mais.

20. Mais Democracia, Mais Organização - Um texto muito propositivo (o que é bom) mas demasiado abrangente para o espaço de que dispõe (o que já não é), e que pode ser dividido grosseiramente entre uma parte mais desenvolvida, sobre funcionamento interno, e uma parte basicamente reduzida a tópicos, sobre outras coisas. Tendo a concordar bastante com a primeira parte, mas do ponto 5 em diante discordo mais do que concordo. Ou por outra: não discordo, propriamente, mas parece-me inútil propor-se coisas como a "permanência no Euro" ou a "prisão efetiva para corruptos com confiscação dos seus bens" sem se discutir como será isso possível no contexto institucional e legal existente hoje e num futuro previsível e quais as consequências que tomar tais medidas poderão ter. Compreendo a limitação de espaço, mas fiquei com a ideia, quiçá injusta, de que falta aqui muito trabalho de casa. (sem moção)

21. Emigramos mas não Desistimos do Bloco - Um ótimo texto sobre a experiência da emigração e os desafios e potencialidades que essa experiência coloca a filiados emigrados e à organização do partido no exterior. Parece-me tudo muito acertado, embora conheça mal a realidade a que o texto diz respeito. (Moção R)

23. Provocar uma Reviravolta na Luta de Classes - Outro texto parcialmente debruçado sobre um mundo que mal conheço, desta vez o dos sindicatos. Parte do artigo parece-me muito bem, sobre outra parte não sei o que pensar por desconhecimento das realidades subjacentes, mas outra parte ainda deixou-me uma certa impressão de se tratar de uma lista de reivindicações sem verdadeira fundamentação. É muito possível que se trate de mais um caso de falta de espaço para explanar devidamente as ideias, mas a verdade é que fiquei cheio de dúvidas. (Moção E)

24. Escolhas Anticapitalistas Para o Bloco - Um artigo muito tonitruante que, nos interstícios de uma série de frases de efeito vazias de conteúdo, faz uma defesa clara da linha política seguida pelo Bloco nos últimos anos, ignorando olimpicamente os resultados dessa política e até, pelo contrário, insinuando que os resultados cada vez piores que o Bloco foi tendo e a progressiva desagregação do partido se devem à ação de quem a ela se opôs. Um artigo francamente mau, lamento dizê-lo. (Moção U)

25. O Nosso Ambiente e o Capital Deles - Um artigo ambientalista, claro e bem fundamentado, com o qual concordo quase por inteiro, mantendo reservas apenas quanto à manifesta oposição à produção hidroelétrica: embora não ignore os custos ambientais da construção de barragens e apesar de achar que se tem feito muito menos mitigação desses custos do que seria desejável, parece-me que, tendo em conta a alternativa histórica (na última década, década e meia as coisas mudaram um pouco de figura), ainda é essa a melhor opção. (Moção U)

26. O Bloco Precisa de Ti... Para Transformar a Sociedade - Um dos tais artigos que parecem fazer questão de alternar entre uma coisa acertada e uma completamente equivocada. Dirigido à juventude, destrata a renegociação da dívida, absolutamente fundamental para Portugal ter um futuro, como "labirintos", e vai repescar a "constituição de 76", que já não existe há muito, muito tempo, para o centro do combate político. É um erro crasso. A Constituição de 76 foi quase completamente alterada nas sucessivas revisões constitucionais e aquela Constituição que existe hoje não está em risco porque o PS não tem o mínimo interesse em pô-la em risco (à parte uns Vitorinos que por lá se arrastam) pois isso alienaria uma parte muitíssimo substancial do seu eleitorado que nos últimos anos só reforçou o apego ao texto constitucional, e porque sem o PS não existirá qualquer revisão. Mais: aquela Constituição que existe hoje, ao contrário do que aconteceria com a de 76, tem permitido tudo e mais alguma coisa, todas as privatizações, todos os ataques ao Estado social, todos os ataques ao trabalho, exceto aquilo que colide diretamente com coisas consagradas em qualquer Constituição de qualquer Estado de direito. Basta ver-se quais os artigos constitucionais que têm servido de base para os chumbos do TC a medidas deste governo. Esta ideia de centrar na Constituição o combate político, portanto, é um completo absurdo. Outro artigo francamente mau. (Moção E)

27. Da Radicalização... que Diz que nos Faz Falta! - Um artigo que parte da situação no Serviço Nacional de Saúde, com casos concretos, para traçar um retrato das relações perigosas entre o Estado e empresas privadas que prestam serviços a esse mesmo Estado. Peca por um final muitíssimo desnecessário. Sem o último parágrafo, mereceria o meu acordo quase total. (Moção U)

28. Organizar Este País Desorganizado - Um artigo interessante sobre o estado do ordenamento do território e a sua relação com a regionalização (e com que regionalização) do país. Estou basicamente de acordo com tudo. (Moção R)

29. Sonha a Esquerda com Ovelhas Negras Digitais? - Para começar, adorei o título dickiano! Quanto ao artigo propriamente dito, trata-se de uma análise do que é e do que deve ser a presença do Bloco na internet. Sou menos entusiástico do que os autores quanto ao que está feito, pois parece-me que tem havido subaproveitamento e alguma ineficiência na presença online do Bloco (por exemplo: encontrar no esquerda.net seja o que for que já não esteja nas primeiras páginas é uma enorme dor de cabeça), mas estou basicamente de acordo com o que se propõe para o futuro, ainda que ache que é preciso ter o cuidado de evitar a tentação de abandonar os espaços onde as pessoas realmente estão. (Moção R)

30. O Peter Pan Voltou? - Outro artigo muito bem escrito sobre a institucionalização do Bloco, a relação do partido com o poder e os poderes internos e a pluralidade. Para bom entendedor, é um artigo cheio de sumo, mas só para bom entendedor e eu não sei se haverá por aí tantos como devia haver. Não concordando a cem por cento, não ando longe disso. (Moção R)

E por hoje é isto. Gostaram? Então leiam também a primeira parte.

Sem comentários:

Enviar um comentário