quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Lido: A Menina Grande do Papá

A Menina Grande do Papá é um conto de Ursula K. LeGuin sobre a vida de uma rapariga invulgar que pura e simplesmente não para de crescer. Algures entre a fantasia, o realismo mágico e o horror, é uma boa história, como seria de esperar de LeGuin, embora não chegue à magnificência das suas melhores obras.

É difícil falar desta história sem a revelar demasiado, pois parte do seu encanto reside no lento desvendar da evolução da "menina grande" desde a miúda pequena que nos é apresentada no início do conto, apenas um pouco maior que a irmã mais velha, até... àquilo em que ela acaba por se transformar quando o texto chega ao fim. Digo-vos apenas que não se trata de um mero caso simples de gigantismo, de alguém que atinge os dois metros, dois metros e picos. Não, não é só isso.

Sem dúvida um belo conto. Sobre a invulgaridade e a marginalização que ela implica, sobre a família, sobre o amor, sobre mais algumas coisas. Se puderem, leiam-na.

Contos anteriores desta publicação:

Sem comentários:

Enviar um comentário