domingo, 30 de maio de 2010

Lido: Escambos com Nativos

Escambos com Nativos (bib.) é mais um conto de Gerson Lodi-Ribeiro pertencente ao universo Taikodom. Apresenta-nos um cenário algo diferente das histórias anteriores, um cenário mais próximo à space-opera: o espaço humano está a ser atacado por uma espécie alienígena com motivações desconhecidas. E os confusos habitantes do espaço, sem ideias para compreender ou contrariar os ataques, têm a ideia enlouquecida de pedir opinião aos tribais terrestres. É que, embora a Restrição não permita que nada de material atravesse o campo de forças que envolve a Terra, deixa passar a radiação eletromagnética. E apesar da maior parte da população terrestre ter morrido durante as epidemias que se seguiram à Restrição, há núcleos de sobreviventes, e num desses núcleos reside um especialista na velha ficção científica do século XX.

Este é o conto que menos me agradou entre os que li até agora no respetivo livro. Não tanto por causa das ideias, embora estas não me agradem lá muito, mas principalmente devido à forma como termina. A maior parte do conto apresenta-nos uma série de conversas entre o homem que teve a ideia de consultar os terrestres, um geólogo (palavra que no Taikodom adquire um significado algo diferente do que lhe damos) que vive num habitat em órbita terrestre, e os habitantes da Terra. Mas as últimas duas páginas são uma espécie de epílogo em que se descreve em traços gerais o que acontece depois dessas conversas. Mas sem conclusão. Isto é: é-nos descrita a estratégia sugerida pelo intérprete da velha ficção científica, mas não os seus resultados... o que torna a descrição da estratégia bastante estéril. Podia ter sido integrada nas conversas sem prejuízo nenhum, ou até simplesmente omitida. Assim como ficou é que não me parece que fique bem.

Não é um mau conto, note-se. Mas não ne parece que passe do razoável, em boa parte por causa daquele fim insatisfatório.

Sem comentários:

Enviar um comentário