segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Lido: De «A Cordial Botelha»

De «A Cordial Botelha» é um poema (quiçá um fragmento?) de Alexandre O'Neill, em quatro partes, que ironiza sobre outros tantos portuguesismos. Com ironia da boa, está bem de ver. Não resisto a citar uma dessas partes porque está tão atual que até irrita, apesar de ter sido escrita há mais de quarenta anos. Aqui vai:

Tome cuidado, senão
fazem-no Dr. do pé prà mão.
Mas se Dr. não diz que é,
fazem-no cão da mão prò pé.

Perceberam? É isto.

Sem comentários:

Enviar um comentário