quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Lido: O Hóspede do Hotel sem Hóspedes

O Hóspede do Hotel sem Hóspedes (bibliografia) é mais um conto de fantasmas de Hugo Rocha. Desta feita, o protagonista e narrador, pois o conto está escrito na primeira pessoa, é um homem de certas posses, hóspede habitual num hotel termal situado algures nas Beiras, e o conto como que descreve a relação entre personagem e hotel (que também acaba por ser, até certo ponto, uma personagem) ao longo de vários anos. Este é descrito como um empreendimento sazonal, cheio de gente na época alta mas fechado na baixa, embora o facto dos donos lá viverem o mantenha com uma ocupação mínima. Entre os hóspedes, é dada particular atenção a um: um homem em que o protagonista vê uma rudeza extrema, de origem francesa, que por lá deambula sem falar com ninguém, nem mesmo quando tentam entabular conversa com ele.

E depois passam-se alguns anos, e o nosso narrador vê-se na contingência de passar uma noite nesse hotel, na época baixa. Depois... bem, depois já se conhece bem a relação que existe entre grandes casarões quase vazios e fantasmagorias, não é verdade?

Gostei deste conto. Embora continue a não ser propriamente original, antes uma adaptação ao cenário português de histórias muito comuns noutras paragens, o conto está bem construído e bem executado. Até o estilo de Rocha me pareceu mais natural, seja porque me esteja a habituar a ele, seja porque, de facto, é neste conto menos sinuoso do que em histórias anteriores.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário