segunda-feira, 28 de março de 2016

Lido: Deleituras

Deleituras, conto de estreia de Óscar de Sá, é um daqueles contos simpáticos, escritos por apaixonados pela leitura para outros apaixonados pela leitura. Neste caso, trata a história de como uma prostituta portuense, tão bronca e inculta como o cliché manda, acolhe um cliente regular, pobretanas, que cisma que lhe dá de pagar os serviços com livros. E ela, em parte pensando vendê-los mais tarde, em parte sabe-se lá porquê, aceita. E depois de aceitar torna-se leitora, e de leitora acaba com tamanha paixão por livros e um vocabulário tão rico que até já troca insultos mais espinhudos por expressões como "néscio de merda" ou "oblato."

O conto é simpático, como digo acima, e está muito bem para um estreante. Mas também o achei demasiado óbvio, com demasiados chavões, tanto no ambiente chulo como nas personagens, como no velhíssimo chavão de apresentar o livro como coisa mágica, capaz de redimir todos os irredimíveis, demasiado inverosímil, até, para realmente gostar dele. Um conto que poderia perfeitamente ter sido escrito há quarenta, cinquenta, sessenta anos ou mais. Um conto, em suma, muitos furos abaixo do que é costume encontrar-se na Ficções. Não um mau conto; um conto que até é, repito, bom para conto de estreia. Mas um conto insatisfatório.

Contos anteriores desta publicação:

Sem comentários:

Enviar um comentário