sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

À atenção das pessoas que me querem enviar coisas...

... e só têm como endereço o meu apartado.

Informo que, a partir de 1 de janeiro, esse apartado vai deixar de ser meu e, portanto, não devem enviar nada para lá. O meu endereço volta a ser só um, o de casa.

Arranjei o apartado porque os CTT privatizaram o serviço de entrega de encomendas em casa e ele tornou-se péssimo (papéis enfiados debaixo da porta do prédio, encomendas que nunca chegavam — talvez por causa disso — etc.), a caixa postal não ficava muito longe de casa e o preço não era muito alto.

Mas começaram por fechar a estação de correios mais próxima de casa, transferindo a caixa postal para o centro da cidade, depois privatizaram os CTT e a primeira coisa que os CTT-empresa-privada fizeram foi subir de surpresa, no fim do ano e muito o preço do apartado. Por fim, o serviço de entrega de encomendas teve algumas melhorias — ao mesmo tempo que o serviço postal normal ia de mal a pior — portanto vou mandá-los pastar.

Em suma: quem quiser enviar-me coisas e não saiba para onde, pergunte-me.

Ah, sim, e claro: viva a iniciativa privada! Nada é mais eficaz e amigo do cidadão do que a iniciativa privada! Empresas públicas? Que horror!

Sem comentários:

Enviar um comentário