terça-feira, 28 de novembro de 2017

Lido: Antologia do Conto Português Contemporâneo

No já longínquo ano de 1984, Álvaro Salema recebeu a incumbência de organizar uma Antologia do Conto Português Contemporâneo, a ser publicada institucionalmente pelo Instituto de Cultura e Língua Portuguesa. O objetivo não era tanto vendê-la ao público, mas apoiar a ação pedagógica no campo do ensino de português como língua estrangeira e divulgar a literatura portuguesa no estrangeiro, nomeadamente servindo de base para a tradução para outras línguas, e eventual publicação, das obras reunidas. Para tal, Salema reuniu um conjunto de 30 contos de outros tantos autores, abrangendo um período — e os respetivos estilos e correntes — que vai de 1926 a 1982.

A qualidade no manejo da língua é, nestes contos, tão elevada como seria de esperar numa publicação deste género. E a qualidade literária mais genérica, que inclui não só este manejo mas outras facetas da criação literária, é também bastante elevada, pesem embora as oscilações naturais num conjunto heterogéneo de contos e a presença de um conto muito mau, perfeito erro de casting... ou talvez não, talvez a sua inclusão tenha sido apenas fruto de o compilador sentir a necessidade de não ignorar a abordagem literária que esse conto corporiza: há vários contos excelentes, os muito bons são mais e a grande maioria é de bom para cima, sendo poucos os apenas razoáveis.

Algo surpreendente para mim foi a quantidade de histórias fantásticas que esta antologia contém. Como disse numa das opiniões individualizadas aos contos, já contava com a presença de algum fantástico, por já conhecer alguns dos contos de publicações como a Antologia do Conto Fantástico Português, entre outras. Mas não o esperava em tão grande profusão. Julguei que talvez houvesse aqui uns 5 ou 6 contos fantásticos, no máximo. Nunca imaginei que eles fossem 13; mais de um terço do total.

Em geral, portanto, esta foi uma boa leitura. Mais: foi uma leitura surpreendentemente relevante para o principal motivo que me levou a fazê-la — alimentar o Bibliowiki. E sim, creio que se trata mesmo de um apanhado muito interessante da produção contística portuguesa daqueles cinquenta anos e picos; interessante o suficiente para extravasar o mero âmbito pedagógico que esteve na sua génese. Quem quiser ler bons contos portugueses, tem-nos aqui com fartura.

Quanto a mim, eis o que achei de cada um deles:
Este livro foi obtido na internet, numa versão em PDF disponibilizada gratuita e legalmente pelo Instituto Camões.

2 comentários: