sexta-feira, 2 de julho de 2010

Lido: A Sós com uma Alma Prolixa

A Sós com uma Alma Prolixa é um conto curto de Rhys Hughes sobre um peculiar fim do mundo. Fala-nos duma mulher e duma casa, últimas sobreviventes da humanidade e seus abrigos, depois de anos de destuição proveniente do espaço, tão gradual como sistemática. Uma casa destruída por segundo, selecionada aleatoriamente, entre todas as casas do mundo, por uma máquina. A ideia é brilhante, a execução bastante boa. Um belo conto.

Sem comentários:

Enviar um comentário