segunda-feira, 17 de abril de 2017

Lido: O Vapor e a Electricidade

Ainda na senda de escrever artigos ficcionados que subvertem de algum modo o conceito de steampunk, João Ventura apresenta de seguida este O Vapor e a Electricidade, texto inteiramente jornalístico, meio em jeito de crónica social, meio em jeito de crítica teatral, que se debruça sobre a apresentação de um espetáculo com esse título onde versões antropomorfizadas do vapor e da eletricidade discutem em verso heptassilábico — com exemplos — os méritos de cada forma de captação e utilização energética. Um texto curioso que, tal como o anterior, seria muito verosímil enquanto texto real do mundo real, não sendo pois preciso postular alternativas steampunk para o enquadrar. Em parte por isso, mas também por estar despido da ironia habitual em Ventura, parecendo destinar-se principalmente a demonstrar dotes de versejador e a debitar uma ou duas ideias sobre os méritos e deméritos das máquinas a vapor ou elétricas, mais a mais pouco originais, não creio que ultrapasse o grau de "curioso". João Ventura tem muito melhor.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário