domingo, 29 de agosto de 2010

Lido: Histórias Fantásticas (Inglesas e Americanas)

Como se pode deduzir pela imagem de capa aqui ao lado, Histórias Fantásticas (Inglesas e Americanas) (bib.) é um livro já bastante antigo. Trata-se de uma antologia selecionada e traduzida por Cabral do Nascimento e publicada pela Portugália numa época em que "fora" ainda se escrevia "fôra", "pónei" "pony", "ele" "êle", "teto" "teto" (isto é, antes de passar pelo interregno em que se escreveu "tecto"), "frequente" "freqüente", etc. e muitos mais etcs. O volume não tem data, mas estes detalhes ortográficos apontam lá para o início dos anos 40, talvez antes.

Trata-se de um conjunto de 14 histórias de um grupo bastante ilustre de autores do século XIX e do início do século XX. A esmagadora maioria são histórias de fantasmas, e julgo que é aí que reside a maior falha da antologia: com uma tão grande preponderância de histórias de fantasmas, por melhores que estas sejam, às tantas já me aborrecia só de pensar que vinha aí mais um conto cheio de espectros e assombrações. Além de que é bastante redutor falar-se de histórias fantásticas e quase só apresentar histórias de fantasmas. Uma coisa não é propriamente sinónima da outra, etimologia à parte.

Provavelmente teria gostado bastante mais de uma antologia mais equilibrada. Não que quase todas estas histórias não sejam boas, não que não estejam, até, bastante bem traduzidas. Mas à medida que fui encontrando uma história de fantasmas atrás de outra, quase todas cheias de clichés (mesmo quando não por culpa própria mas de todo o oceano de histórias semelhantes que foram escritas e filmadas depois) fui-me desiludindo e cansando do livro, embora as últimas histórias, que tendem a fugir mais do tema do que as primeiras, tenham conseguido sacudir parte desse cansaço. Dito isto, é uma boa antologia, com algumas grandes histórias, que podia perfeitamente, até, ser reeditada, pois julgo que todos estes contos, e mesmo a tradução, estarão já por esta altura no domínio público. Provavelmente.

Quanto aos pormenores, ao que achei de cada um dos contos, é seguir as ligações que se seguem.

Sem comentários:

Enviar um comentário