sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Lido: Reserva de Sementes

Reserva de Sementes é um conto de ficção científica de Frank Herbert, passado num planeta distante, onde uma colónia humana luta desesperadamente pela sobrevivência mais ou menos contra um mundo que parece determinado a fazê-la desaparecer e do qual não tem possibilidade de fugir. O protagonista é, numa expedição cheia de cientistas e técnicos, um mecânico tornado pescador, uma das pessoas menos preparadas academicamente de toda a colónia, se não mesmo a pessoa menos preparada academicamente de toda a colónia. No entanto, ele possui algo que falta aos outros: uma noção empírica, dir-se-ia até quase instintiva, do comportamento dos seres vivos da zona em que a colónia se instalara e até das relações ecológicas estabelecidas no planeta e entre este e o corpo estranho nele enxertado que a colónia constitui.

Não é um conto particularmente bem escrito (ou então sou eu que continuo a não gostar do estilo do homem) e nem sequer me pareceu um conto lá muito bem feito no que toca ao enredo e à construção da história. Mas é um conto muito característico de Herbert na consciência ecológica, invulgar para a ficção científica da época em que foi escrito, e isso faz dele um conto muito mais contemporâneo do que muitas coisas escritas mais tarde. A sobrevivência humana num planeta pouco preparado para lidar com os humanos está muito na ordem do dia... mesmo no planeta em que os humanos nasceram. Tudo somado, este é um conto razoável em termos literários e muito interessante naquilo que trancende a literatura.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário