quinta-feira, 12 de abril de 2018

Lido: Olho por Olho, Dente por Dente

Uma das coisas que os escritores de FC fizeram desde sempre com os contos é testar ideias e técnicas que depois, se bem sucedidas (ou às vezes nem tanto), desenvolvem em obras mais extensas. Às vezes os resultados desses testes são ótimos, outras vezes ficam bastante aquém, o que de resto se pode dizer também das obras que desenvolvem a partir deles.

E esta vinheta de Luis Bras é exatamente isso: um teste. Olho por Olho, Dente por Dente é uma história de ficção científica política, contada de forma fragmentária e não sequencial, sobre o que acontece depois de os políticos lá do Brasil (presume-se; é o que indica o nome da personagem principal, pelo menos) terem feito aprovar uma lei que paga na mesma moeda a qualquer condenado por assassínio... e um senador matar uma rapariga. Detalhe: existe também um programa experimental de reanimação pós-morte, que procura recuperar a vida, ou pelo menos a consciência, depois da vida chegar ao fim. The plot thickens.

Esta é uma história que exige grande atenção às datas, para se perceber o que vem antes e o que vem depois, e que a meu ver só peca por excesso de otimismo. Por aquilo a que se tem assistido nos últimos tempos, um senador ser condenado no Brasil é pura fantasia. Esperem... a menos que... bem, sim, se o senador for da oposição, se não pertencer ao bando que detém os cordelinhos do poder, tudo bem, tudo certo, faz sentido.

Seja como for, esta é uma boa história, sim senhor. Mais uma. E em breve (bem, "em breve" é relativo) saberão aqui na Lâmpada que resultado teve o teste. Não percam as cenas dos próximos capítulos!

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário