terça-feira, 1 de maio de 2018

Em abril falou-se de...

Os que costumam cá vir já sabem o que é isto, portanto podem passar à frente; para os outros, é uma lista daquilo que, segundo o Ficção Científica Literária, recebeu opiniões ao longo do mês de abril que acabou de chegar ao fim, e há mais informações do que estas disponíveis aqui. E se houver interessados em ver listas semelhantes dos meses anteriores (e, no futuro, dos próximos), basta-lhes ir à tag "leituras fc" e encher a barriga com elas. Mais comentários, como sempre, depois das listas. Vamos a elas? Vamos a elas.

Ficção portuguesa:
  1. Expansão, org. ??
  2. E Se... Angola Tivesse Proclamado a Independência em 1959?, de Jonuel Gonçalves
  3. A Coleção Privada de Acácio Nobre, de Patrícia Portela
  4. Shark-Killer, de Bruno Martins Soares (conto)
Ficção brasileira:
  1. Além do Tempo e do Espaço, org. ??
  2. O Dia em que Eles Cansaram de Esperar, de Renato A. Azevedo (conto)
  3. Invasão Retomada, de Marcelo Bighetti (conto)
  4. Mea-Culpa, de Luiz Bras (conto)
  5. Nas Catacumbas, de Luiz Bras (conto)
  6. Olho por Olho, Dente por Dente, de Luiz Bras (conto)
  7. As Aventuras de Honey Bel, de Miguel Carqueija
  8. Infiltrado, de Roberto de Sousa Causo (conto)
  9. O Grande Besouro, de Gian Danton (conto)
  10. Dezoito de Escorpião, de Alexey Dodsworth
  11. Anacrônico, de Antony Magalhães
  12. O Hóspede, de Flávia Muniz (conto)
  13. A Era dos Mortos, vol. 1, de Rodrigo de Oliveira
  14. Guerra Justa, de Carlos Orsi
  15. Perdidão, de Claudio Parreira (conto)
  16. Carta do Futuro, de Ademir Pascale (conto)
  17. Todo o Silício do Mundo..., de Gerson Lodi-Ribeiro (conto)
  18. Xochiquetzal e a Esquadra da Vingança, de Gerson Lodi-Ribeiro (conto)
  19. Xibalba Sonha com o Oeste, de André S. Silva (conto)
  20. Sol no Coração, de Roberta Spindler (conto)
Ficção internacional:
  1. The Power / O Poder, de Naomi Alderman
  2. Eu, Robô, de Isaac Asimov
  3. Os Próprios Deuses, de Isaac Asimov
  4. The Martian in the Wood, de Stephen Baxter (conto)
  5. Project Mars, de Wernher von Braun
  6. Iron Gold, de Pierce Brown
  7. Kindred - Laços de Sangue, de Octavia E. Butler
  8. A Menina que Tinha Dons, de M. R. Carey
  9. A Invenção de Morel, de Adolfo Bioy Casares
  10. Rendezvous with Rama, de Arthur C. Clarke
  11. Jogador nº 1 / Ready Player One, de Ernest Cline
  12. Sonhos Elétricos, de Philip K. Dick
  13. Um Vento à Porta, de Madeleine l'Engle
  14. Uma Dobra no Tempo, de Madeleine l'Engle
  15. Outlander, de Diana Gabaldon
  16. Herland - A Terra das Mulheres, de Charlotte Perkins Gilman
  17. Legado de Sangue, de Claudia Gray
  18. Mil Pedaços de Você, de Claudia Gray
  19. A Mão Esquerda das Trevas / A Mão Esquerda da Escuridão, de Ursula K. Le Guin
  20. Um Estranho Numa Terra Estranha, vol. 1, de Robert A. Heinlein
  21. Memória da Água, de Emmi Itäranta
  22. Mago e Vidro, de Stephen King
  23. Justiça Ancilar, de Ann Leckie
  24. Solaris, de Stanislaw Lem
  25. O Chamado de Cthulhu e Outros Contos, de H. P. Lovecraft
  26. Vigilante Noturno / Criaturas da Noite, de Marie Lu
  27. Warcross, de Marie Lu
  28. Às Cegas, de Josh Malerman
  29. As Crônicas de Marte, org. George R. R. Martin e Gardner Dozois
  30. Histórias de Vigaristas e Canalhas, org. George R. R. Martin e Gardner Dozois
  31. Mulheres Perigosas, org. George R. R. Martin e Gardner Dozois
  32. Santuário dos Ventos, de George R. R. Martin e Lisa Tuttle
  33. O Silêncio das Filhas, de Jennie Melamed
  34. Travelling to Utopia, de Michael Moorcock
  35. Carbono Alterado, de Richard Morgan
  36. O que Restou, de Alexandra Oliva
  37. O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry
  38. Encarcerados, de John Scalzi
  39. O Código do Apocalipse, de Alex Scarrow
  40. O Ceifador, de Neal Shusterman
  41. An Incident at the Luncheon of the Boating Party, de Allen M. Steele (conto)
  42. As Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift
  43. Space Opera, de Catherynne M. Valente
  44. Aceitação, de Jeff VanderMeer
  45. Around the World in Eighty Days, de Jules Verne
  46. A Estrada Subterrânea, de Colson Whitehead
  47. False Lights, de K. J. Whittaker
  48. Interferências, de Connie Willis
  49. Regresso a Zero, de Stefan Wul
  50. Thrawn, de Timothy Zahn
  51. Nós, de Evguéni Zamiátin
Não-ficção internacional:
  1. A Cruzada Mascarada, de Glen Weldon
Portanto tivemos, na prática, opiniões a um livro de FC e a um livro de história alternativa portugueses. O livro da Patrícia Portela faz referência à FC e tem interesse por isso, mas não é de FC e nem sequer roça o género, e o do Bruno Martins Soares é um conto em ebook. Ao longo de um mês. Vale a pena tecer mais comentários? Não, pois não?

Do lado brasileiro, houve referências a 20 títulos, seis livros de FC e 14 contos. Parece muito, mas se retirarmos as referências que vieram aqui da Lâmpada restam só 5 livros. Cinco. Mais nada. É melhor que o lado português mas continua a ser miserável, em especial porque quem fez de longe mais referências a material brasileiro durante o mês de abril foi... um português.

(Calhou acumular-se neste período de leituras muitas coisas com FC vindas do Brasil; o material português que tenho lido nos últimos tempos ou é de outros géneros ou é traduzido. E isso não deve mudar tão cedo.)

Este mês tive curiosidade de ir ver se o problema é da plataforma. Isto é, se o facto de o FCL não agregar material fechado em redes sociais, especializadas ou não, poderia contribuir para explicar estas carências. Para tal, dei um salto ao Goodreads para ver quantos comentários existem a alguns livros saídos mais ou menos recentemente. O Crazy Equóides tem... dois. Os mesmos que foram divulgados cá fora. A nova edição do Terrarium tem... um. Também divulgado cá fora. Outros livros publicados este ano ou ainda nem lá estão ou estão com duas ou três avaliações com estrelinhas e zero comentários, e o mesmo se passa com a maioria das edições do ano passado. Portanto não é da plataforma: é verdade que há algumas opiniões que ficam restritas a essas redes mas não são elas a causa do silêncio.

O que mais estranho, francamente, é este não parecer incomodar muita gente, incluindo boa parte dos produtores: não vejo nenhuma iniciativa recente em Portugal (no Brasil é um pouco diferente; há uma ou duas) que tenha o objetivo de mudar esse estado de coisas. Só uma mancheia de teimosos vai resistindo. Se estes se fartarem ou ficarem demasiado ocupados, acabou.

Pensamentos animadores para uma tarde de feriado.

2 comentários:

  1. Viva Jorge - só para avisar: «Shark-Killer» não é um conto, é a terceira parte de um romance scifi, «The Dark Sea War Chronicles». Ab!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OK, fica registado.

      A ideia com que eu tinha ficado era que se tratava de novelas interligadas, um pouco à semelhança do que o João Barreiros e o Luís Filipe Silva fizeram no Terrarium. "Conto", nestas listas, é só uma forma curta de identificar "ficção mais curta que romance".

      Eliminar