terça-feira, 15 de maio de 2018

Lido: Corte

Já cortaste um dedo? Não, não pergunto se já fizeste um corte num dedo; pergunto se já cortaste um dedo, mesmo cortado, todo ele, um minuto era parte do teu corpo e no minuto seguinte deixou de ser, sloch.

Não, pois não?

Pois Fábio Fernandes também não, e isso é muito óbvio neste Corte (bibliografia), uma vinheta em que tenta imaginar como seria, descrevendo com abundância de detalhes, através dos quais procura desesperadamente alcançar o máximo possível de fator choque, o tal corte do tal dedo. É uma tentativa de conto de horror biológico (sim, é um dos subgéneros oficiais do género horror), usando a amputação como força motriz. Mas pela parte que me toca fica-se pela tentativa, sendo incapaz de despertar em mim algum sentimento mais forte que a indiferença. Completa e absoluta.

Não é um mau conto nem está mal escrito ou estruturado. É apenas um conto que me diz um redondinho nada. Um daqueles contos que geram a eloquente resposta de "meh." Felizmente é muito curto.

Contos anteriores desta publicação:

Sem comentários:

Enviar um comentário