quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Lido: Famigerada Fome

Muitos dos contos deste livro de Luiz Bras têm qualquer coisa a ver com ficção científica. Geralmente é uma FC bastante "impura", muito contaminada com outras coisas, ou é sobretudo outras coisas com alguns elementos de FC, mas são raros os que estão totalmente despidos de ficção científica. Famigerada Fome é um destes raros contos. Um conto de horror canibalístico (e, sim, alegórico). E atenção que não posso dizer sobre ele o que pretendo dizer sem uma quantidade razoável de spoiler. Estão avisados.

O protagonista-narrador é um assassino em série cuja insaciável curiosidade por compreender o feminino o leva a investigar, de uma forma bastante sui generis, mulheres atrás de mulheres. Muito bem escrito e muito bem concebido, com a dose certa de suspense e mistério e uma pequena reviravolta final que faz com que tudo ganhe uma perspetiva subtilmente nova, este é outro dos contos bastante bons incluídos neste volume.

Ah, sim, e onde está a alegoria? Bem, é que também é inteiramente possível uma leitura menos literal desta história, uma leitura segundo a qual o protagonista-narrador é apenas um homem bem mais comum, bem menos monstruoso, e as suas presas são simples conquistas, uma sucessão delas, que matam uma fome de outro tipo e lhe fornecem outra espécie de informação sobre a natureza do feminino.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário