segunda-feira, 30 de março de 2020

Leiturtugas #56

Com esta história da epidemia, a minha produtividade foi completamente pelo ralo. Não que o recolhimento obrigue a grandes adaptações relativamente à vida que eu fazia antes — quem já trabalhava em casa, como eu, não tem grandes adaptações a fazer. Na verdade, sou até capaz de ter passado a sair mais vezes, porque para lá de compras para mim agora também faço pelo menos parte das da minha mãe. Mas tudo isto originou uma busca obsessiva de informação, e a consequência é que todo o trabalho aqui na Lâmpada e no FCL, e até a própria leitura, se detiveram quase por completo, pelo menos durante a primeira semana. E tal. E isso teve e deverá continuar a ter consequências aqui nas Leiturtugas.

Que consequências? Atrasos. Grandes. O material para o FCL acumulou-se e no momento em que escrevo isto tenho quase 2500 posts por vasculhar, o que deverá demorar ainda bastante tempo. Ora, como as minhas fontes para o FCL são as mesmas que uso para as Leiturtugas, não será muito difícil imaginarem com quanto atraso estarão as coisas a ser divulgadas aqui. Por isso, se publicarem hoje um post relevante, não contem com vê-lo aqui antes de se passar pelo menos uma semana. Pelo menos.

Outra coisa: o sorteio do Sally. Vai ser feito mas não logo no princípio de abril, como eu tinha planeado, e sim apenas quando acabar de despachar todo o material acumulado de março. Como não sei ainda quando isso será, não vos posso dar uma data, nem mesmo aproximada. Quanto ao livro, e como eu, como qualquer de nós, não posso ter a certeza de não estar contaminado, vai ser empacotado assim que haja vencedor do sorteio que o aceite, depois fica a repousar dois ou três dias, o suficiente para a bicharada que poderá eventualmente assolar-nos se decompor no interior do embrulho, e só será enviado depois. Aconselho quem o receber a ter os cuidados normais com o embrulho, mas o interior deverá chegar totalmente livre de bichezas desagradáveis, ou seja, perfeitamente seguro.

(sim, sim, eu sei que não é um bicho)

Quanto ao envio propriamente dito, não garanto rapidez. Pode ser que tenha de fazer várias viagens ao posto dos correios até o encontrar vazio o suficiente para considerar razoavelmente seguro fazer o envio. Pode ser que seja à primeira tentativa, pode ser que não seja antes de um número indeterminado delas. Veremos.

Que mais? Bem... mais nada. Parece que é isto.

Ah, sim, já me esquecia. A Tita estreou o ano nas Leiturtugas com duas opiniões sobre dois livros da Catarina Janeiro, ambos publicados pela Coolbooks. O primeiro intitula-se Outubro Negro e o segundo, sequela deste, tem o título de O Hospital de Todos os Santos. Nenhum deles tem FC, ao que parece, pelo que a Tita arranca com 0c2s.

E por agora é tudo. Para a semana pode ser que haja mais.

Sem comentários:

Publicar um comentário