quarta-feira, 1 de maio de 2019

Escrita de abril



Abril voltou a ser um mês de escrita não muito abundante mas significativa. Este truque de escrever um parágrafo de vez em quando nos intervalos de outras coisas parece ter estabilizado a produção em volta de três a quatro mil palavras, salvo meses particularmente maus, como março último. Abril terminou com pouco mais de 3700 palavras escritas, e teria sido mais se não me tivesse magoado no dia 25 à conta de uma aventurazinha meio tola. Nada de sério mas o suficiente para ficar sem posição para dormir (com as habituais dói), o que me prejudica os sonos ao ponto de se me esgotar o combustível ainda na fase do trabalho. Ou seja: para trabalhar dá; para mais do que isso, nem por isso.

Mesmo assim deu para concluir um capítulo da novela, iniciar outro, escrever mais um conto curto e rever outro.

Mas acho que é já garantido que a novela não vai ficar pronta antes do verão. Teria de acelerar mesmo muito para despachar os dois capítulos e quase um terceiro que faltam entre maio e metade de junho. Agora o objetivo é que fique pronta antes do outono, e isso julgo que será razoavelmente fácil, até porque prevejo ter tempo livre depois do fim da tradução que tenho em mãos.

De qualquer forma, a coisa avança. Devagarinho mas com segurança.

E por agora é só. Até junho.

Sem comentários:

Enviar um comentário