quarta-feira, 17 de março de 2021

Urbano Bettencourt: A Rã e o Boi

Mais um miniconto de Urbano Bettencourt, e mais uma dose de ironia mais ou menos cáustica. Mas desta vez estamos perante um texto que me interessou mais, também, mas não só, pelo inesperado surgimento do fantástico. E basta o título, A Rã e o Boi, para se perceber que tipo de fantástico. Sim, não é por acaso que este parece um título de fábula, embora Bettencourt use esta sua fábula, sobre uma rã que inveja um boi musculoso e vai tratar de muscular-se, não propriamente para dar a típica liçãozinha moral, mas para atirar farpas aos poderes públicos regionais açorianos, e provavelmente não só. O curioso é que embora este miniconto me tenha interessado mais que os anteriores me pareceu menos bem feito do que eles. Paradoxos da leitura.

Textos anteriores desta publicação:

Sem comentários:

Publicar um comentário