terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Lido: O Preto e o Padre

Mais um dos contos recolhidos por Adolfo Coelho com um protagonista preto, mais um monumento de racismo. Neste O Preto e o Padre, o preto não será criminoso, propriamente, mas é malandro e aldrabão, cabendo aos brancos, claro, o papel de pôr "ordem na casa". Neste caso ao padre, que não se deixa enganar, por mais que o preto tente.

Ah, sim, pois, os portugueses não são racistas. Ceeerto...

E o conto, com a sua única página, é basicamente o relato de uma sucessão de manigâncias por parte do preto para se safar de algum castigo por ter comido a perna de uma galinha que preparou para o padre, do qual é criado, manigâncias essas que são sucessivamente anuladas pelo padre. Suponho que a ideia original fosse ser um conto humorístico, mas confesso não lhe ter encontrado nenhum humor. E também não lhe encontrei nada que o integre na literatura fantástica, o que o coloca em clara minoria no contexto deste livro. Será uma historinha interessante como fonte de informação sociológica mas além disso é perfeitamente dispensável.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário