sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Lido: There Are More Things

Não, não é engano. O conto está mesmo num livro do argentino Jorge Luis Borges, e tem mesmo este título shakespeariano, em inglês, There Are More Things. Mais: é dedicado a nada mais, nada menos, que H. P. Lovecraft, esse mesmo, o do horror cósmico. E mais ainda: é um conto de horror cósmico muito lovecraftiano e tem, de facto, aquela espécie de horror pintalgado de ficção científica que é característica do subgénero.

Como acontece muitas vezes quando a ficção lovecraftiana é escrita por autores não americanos (e se viu entre nós, por exemplo, na antologia Sombra Sobre Lisboa), Borges como que "nacionaliza" o universo de Lovecraft, ambientando este seu conto na Argentina. Tudo gira em torno de uma casa isolada, vendida pelo narrador da história a um misterioso estrangeiro o que, por o estrangeiro ser misterioso e porque à venda se seguiram obras demoradas que o vendedor sente como um ataque às suas memórias, o vão levar a investigar o que se passa. E o que encontra é o que qualquer leitor que conheça Lovecraft imagina.

Em parte por isso, porque o que vamos encontrar neste conto ser quase precisamente o que esperamos encontrar assim que percebemos que estamos perante uma ficção lovecraftiana, e em parte porque Borges se afasta neste conto do seu próprio estilo e imaginário (embora não completamente) para assumir até certo ponto os de Lovecraft, este é um conto competente mas não é nada de transcendente. O escritor genial que Borges foi cria aqui uma história que poderia ter sido criada por muitos outros escritores. É uma boa história? É, claro, que não é por criar uma obra derivativa que Borges desaprende de escrever. Mas está muito longe das suas melhores histórias.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário