quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Lido: Os Simplórios

Entre os contos recolhidos por Adolfo Coelho, há um tipo que é particularmente raro: contos sem sombra de magia ou sobrenaturalidades. Os Simplórios pertence a esse grupo.

Trata-se de um continho cómico sobre as coisas que fazem e dizem os prodígios de estupidez. Como na época não havia facebook, não estava à vista de todos e estas histórias tinham de ser contadas em volta da lareira. E é história que se conta depressa, pois ocupa pouco mais que uma página. Terá graça? Enfim, suponho que sim, alguma, uma gracinha ingénua sem sombra de sofisticação ou subtileza. Tudo gira em volta de casamentos frustrados, o que não deixa de ser natural numa sociedade sexualmente reprimida como era a sociedade portuguesa do século XIX (altura da recolha; não se sabe quando esta história foi criada mas é de supor que a repressão fosse mais ou menos idêntica). Mas nada que tenha grande interesse.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário