terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Lido: O Capuchinho Vermelho

Quem diria que uma história tão famosa como esta tinha origens tão humildes? Conheço esta história d'O Capuchinho Vermelho desde que me conheço; deve ter sido das primeiras histórias infantis que os meus pais me contaram, e enquanto fui crescendo encontrei-a em diversos lugares e em vários formatos. Por isso, suponho, esperava encontrar aqui no original dos Irmãos Grimm (que desta vez até parece nem ser coisa muito adulterada face à história popular propriamente dita) uma história que respeitasse o que eu conhecia mas fosse mais desenvolvida e mais longa. Mas não. É uma historinha de pouco mais de três páginas, com todos os pontos sobejamente conhecidos e muito pouco mais. As notas que a acompanham são igualmente curtas, e a única fonte de surpresa é os Grimm terem nela integrado uma segunda historinha de meia página sobre outro encontro entre o Capuchinho Vermelho e outro Lobo Mau, que se desenrola de forma bem diferente porque o Capuchinho já ia prevenido com o que aprendera no primeiro encontro.

Mas lá está, esta história é um clássico e vale sempre a pena ler os clássicos, em especial na sua versão mais ou menos original.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário