segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Lido: O Vampiro Pitosga

Mais um continho bastante curto, desta vez uma vinheta, este O Vampiro Pitosga mantém o mesmo clima dos contos anteriores deste livro de Carina Portugal, em que predomina o humor. E este é um bom conto estragado pelo título.

Ignorando o título, o conto é divertido e até está razoavelmente bem construído. Um vampiro prepara-se para se refastelar com uma opípara refeição: duas belas humanas, prontas para levarem uma dentadinha no pescoço cada uma, fornecendo ao vampiro litros e litros de saboroso sanguinho. Mas, como o título revela logo à partida, o vampiro é pitosga. Muito pitosga. E as dentadas não vão ter o efeito desejado.

Sem este título, este conto funcionaria bastante bem. Com o título, porém, depressa se torna demasiado previsível, destruindo a surpresa de que o humor sempre carece. Chega-se a metade do conto e já se sabe como ele vai acabar, de modo que quando o punch-line finalmente chega funciona mais como anticlímax do que como clímax. É pena; teria sido um ajuste tão pequeno e faria tanta diferença.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário