terça-feira, 27 de novembro de 2018

Lido: O Retrato da Princesa

Toda a gente sabe que a única qualidade realmente importante nas mulheres, e entre elas especialmente nas princesas, é a beleza, não é? Não é? Que raio estão todas as pessoas sensatas aí ao fundo a dizer que não? Ora esta! Calem-se, sim? Deixem falar a tradição!

E a tradição está bem retratada neste O Retrato da Princesa, mais um dos continhos de duas páginas recolhidos por Adolfo Coelho. Tem por tema um noivado real (naturalmente), que entrou em problemas porque a princesa não correspondia em formosura ao retrato pelo qual o príncipe se apaixonara. Sim, porque a personalidade das princesas se resume a serem bonitas. Evidentemente. Mas no fim tudo se resolve, que a princesa sempre era uma boazona com tudo no lugar, estava era enfeitiçada para parecer feiosa. Com a destruição do feitiço (ou, neste mundo não mágico que é o nosso, com um bom "makeover" e umas plásticas), fica tudo bem e eles vivem felizes para sempre, porque como se sabe a única coisa necessária para um casal ser feliz é a noiva ser boazona.

Ah, patriarcado, patriarcado...

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Por motivos de spam persistente, todos os comentários neste blogue são moderados. Comentários legítimos passam, mas pode demorar algum tempo. Como sempre acontece, paga a maioria por uma minoria de idiotas. Parece ser assim que o mundo funciona, infelizmente.