sexta-feira, 5 de julho de 2019

Davi Araújo: Alter et Idem / Liberdade de Expressão

Já disse por aqui muitas vezes, e repito mais uma vez: não percebo grande coisa de poesia. Tenho umas luzes, mas são de poucos lúmen (que com a variedade de económicas os watts deixaram de ser úteis para ter ideia da luminosidade). E por isso é sempre com um certo embaraço que falo aqui de poemas.

Especialmente de poemas como estes. Davi Araújo faz poemas formalmente corretos, com ritmo, com prosápia, com palavras bem escolhidas e postas nos seus lugares, mas que falham em estabelecer uma ligação comigo, emocional ou qualquer outra. Por isso não sei bem que diga deles. Descrevê-los? Bem... Alter et Idem é um poema sobre o efeito que a literatura tem sobre o eu, ou pelo menos sobre um eu possível, e Liberdade de Expressão mais parece uma brincadeira em que a musicalidade das palavras é muito mais relevante do que o seu significado.

Basta?

Provavelmente não, mas é o que temos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Por motivos de spam persistente, todos os comentários neste blogue são moderados. Comentários legítimos passam, mas pode demorar algum tempo. Como sempre acontece, paga a maioria por uma minoria de idiotas. Parece ser assim que o mundo funciona, infelizmente.