terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Em dezembro falou-se de...

E cá temos, pelo 12º mês consecutivo — há um ano que faço isto, portanto, o que significa que dentro de dias aparecerá por aí o balanço do ano das leituras fc — o apanhado das opiniões literárias que apareceram na web aberta durante o mês que acabou há dias.

Mas comecemos como é costume: pelas notas sobre onde encontrar mais informação sobre o que são estes artigos, de que limitações padecem e quais são os seus objetivos, o que se pode encontrar no primeiro de todos, de janeiro de 2018, e também onde e como encontrá-los a todos, passados, presentes e, no tempo devido, futuros, todos reunidos na tag leituras fc.

E agora que o palavreado habitual está despachado, vamos às listas. No fim, como sempre, há comentários.

Ficção portuguesa:
  1. Euronovela, de Miguel Vale de Almeida
  2. A Submissão dos Inocentes, de Ângelo R. T. Magalhães
  3. Doze Doses de Ilusão, de Carina Portugal (conto)
  4. O Engenho dos Sonhos, de Carina Portugal
  5. Ensaio Sobre a Cegueira, de José Saramago (2x)
  6. O Resto é Paisagem, org. Luís Filipe Silva
  7. Tudo Isto Existe, de João Ventura
Ficção brasileira:
  1. Names, de Dalton Almeida
  2. Sobre a Imortalidade de Rui de Leão, de Machado de Assis
  3. Dissidentes, de José Beffa (2x)
  4. Dia da Marmota, de Luiz Bras (conto)
  5. Ministério da Verdade, de Luiz Bras (conto)
  6. Pequena Coleção de Grandes Horrores, de Luiz Bras
  7. A Guia, de Évany Cristina Campos
  8. Aqui quem Fala é da Terra, org. André Caniato e Jana Bianchi
  9. Piscina Livre, de André Carneiro
  10. Le Chevalier e a Exposição Universal, de A. Z. Cordenonsi
  11. A Fortaleza, de Day Fernandes
  12. Dias Febris, de Francis Graciotto
  13. O Caçador Cibernético da Rua Treze, de Fábio Kabral
  14. Trasgo, nº 4, ed. Rodrigo van Kampen
  15. Macacos e Outros Fragmentos ao Acaso, de Jorge Moreira Nunes
  16. Fractais Tropicais, org. Nelson de Oliveira
  17. A Ilha dos Mortos, de Rodrigo de Oliveira
  18. A Noiva e o Vampiro, de Gerson Lodi-Ribeiro (conto)
  19. Solarpunk, org. Gerson Lodi-Ribeiro
  20. Pulp Feek, nº 2, ed. Lucas Rueles e Rafael Marx
  21. Heróis de Novigrath, de Roberta Spindler
  22. O Reino de Zália, de Luly Trigo
  23. As Águas-Vivas não Sabem de Si, de Aline Valek
Ficção internacional:
  1. A Loucura de Deus, de Juan Miguel Aguilera
  2. O Poder, de Naomi Alderman (2x)
  3. As Cavernas de Aço, de Isaac Asimov
  4. O Sol Desvelado, de Isaac Asimov
  5. Os Robôs da Alvorada, de Isaac Asimov
  6. A História de uma Serva / O Conto da Aia, de Margaret Atwood (4x)
  7. 4321, de Paul Auster
  8. Sepulcros de Cowboys, de Roberto Bolaño
  9. O Livro de Areia, de Jorge Luis Borges
  10. There Are More Things, de Jorge Luis Borges (conto)
  11. Fahrenheit 451, de Ray Bradbury (2x)
  12. Em Mãos Humanas, de Algis Budrys (conto)
  13. A Parábola do Semeador, de Octavia Butler
  14. Despertar, de Octavia Butler (2x)
  15. Cyborg, de Martin Caidin
  16. A Vida Compartilhada em uma Admirável Órbita Fechada, de Becky Chambers
  17. A Última Profecia, de Suzanne Collins
  18. M 81: Ursa Maior, de Edmund Cooper (conto)
  19. Vox, de Christina Dalcher (4x)
  20. Espere Agora Pelo Ano Passado, de Philip K. Dick (4x)
  21. O Homem do Castelo Alto, de Philip K. Dick
  22. O Tempo Desconjuntado, de Philip K. Dick (2x)
  23. Valis, de Philip K. Dick
  24. A Libélula Presa no Âmbar, de Diana Gabaldon
  25. A Viajante, de Diana Gabaldon
  26. EntreMundos, de Neil Gaiman e Michael Reaves
  27. The Difference Engine, de William Gibson e Bruce Sterling
  28. Cannibal Farm, de Ron Goulart (conto)
  29. Uma Coisa Absolutamente Fantástica, de Hank Green (2x)
  30. Tropas Estelares, de Robert A. Heinlein
  31. Duna, de Frank Herbert (2x)
  32. A Terra da Noite, de William Hope Hodgson
  33. A Corte do Ar, de Stephen Hunt
  34. Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley
  35. A Quinta Estação, de N. K. Jemisin
  36. O Portão do Obelisco, de N. K. Jemisin (2x)
  37. Flores para Algernon, de Daniel Keyes (2x)
  38. A Incendiária, de Stephen King (2x)
  39. Celular, de Stephen King (2x)
  40. A Balada do Black Tom, de Victor Lavalle (2x)
  41. Steampunk!, org. Kelly Link e Gavin J. Grant
  42. A Floresta Sombria, de Cixin Liu
  43. O Problema dos Três Corpos, de Cixin Liu
  44. Legend, de Marie Lu
  45. Almas Roubadas, de Sarah J. Maas
  46. O Corpo Dela e Outras Farras, de Carmen Maria Machado
  47. Estilhaça-me, de Tahereh Mafi
  48. LoveStar, de Andri Snær Magnason
  49. Caixa de Pássaros / Às Cegas, de Josh Malerman (4x)
  50. Estação Onze, de Emily St. John Mandel
  51. Cidade da Meia-Noite, de J. Barton Mitchell
  52. Light Years, de Kass Morgan
  53. Anjos Partidos, de Richard Morgan
  54. Time Traders, de Andre Norton
  55. 1984, de George Orwell
  56. O Elmo do Horror, de Victor Pelevin
  57. Máquinas Mortais / Engenhos Mortíferos, de Philip Reeve (4x)
  58. A Noite dos Mortos-Vivos, de John Russo
  59. O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry
  60. Calamidade, de Brandon Sanderson
  61. A Guerra é para os Velhos, de John Scalzi
  62. Head On, de John Scalzi
  63. O Ceifador, de Neal Shusterman (2x)
  64. Regresso à Vida, de Robert Silverberg
  65. As Artes de Xanadu, de Theodore Sturgeon
  66. Viagem ao Centro da Terra, de Jules Verne
  67. Limites do Tempo, de Rysa Walker
  68. A Máquina do Tempo, de H. G. Wells
  69. Behemoth, de Scott Westerfeld
  70. Goliath, de Scott Westerfeld
  71. Leviathan, de Scott Westerfeld
  72. A Sombria Queda de Elizabeth Frankenstein, de Kiersten White
  73. O Livro do Juízo Final, de Connie Willis
  74. O Beco dos Malditos, de Roger Zelazny
  75. The Courts of Chaos, de Roger Zelazny
  76. The Hand of Oberon, de Roger Zelazny
  77. As Horas Vermelhas, de Leni Zumas
Não-ficção internacional:
  1. Superinteligência, de Nick Bostrom
  2. 21 Lições Para o Século 21, de Yuval Noah Harari (2x)
  3. O Futuro da Humanidade, de Michio Kaku
  4. Nossos Deuses são Super-Heróis, de Christopher Knowles
  5. A Verdadeira História da Ficção Científica, de Adam Roberts
Este mês de dezembro marcou o início do projeto Leiturtugas e, embora o início de uma coisa destas seja sempre hesitante, já parecem notar-se alguns efeitos, pois é preciso recuar a janeiro para a lista de leituras portuguesas ser mais extensa. Até aconteceu algo pela primeira vez nas leituras portuguesas: dois comentários no mesmo mês a uma mesma obra, no caso do Saramago. Ainda não tinha acontecido, julgo que nunca (desde que isto começou, claro), e de certeza que não desde que comecei a contabilizar o número de referências feitas a cada obra em cada mês. Mesmo assim, sete (ou oito, se contarmos os dois comentários ao mesmo título) ainda é um número demasiado baixo. Mas parece haver boas perspetivas para esse número aumentar significativamente a breve trecho.

Quanto aos brasileiros, este mês esmeraram-se. 23 títulos num total que mesmo descontando os que vêm aqui da Lâmpada — cinco — significa um dos mais fortes meses desde que comecei a fazer isto. Efeitos de ser verão lá por baixo? Quiçá. Luiz Bras, com três títulos, tem destaque, embora seja destaque made in Portugal (aqui mesmo), e Gerson Lodi-Ribeiro, com dois títulos, e José Beffa, com duas opiniões a um seu livro, vêm logo atrás.

Em sentido inverso, os comentários à ficção traduzida voltaram a diminuir, contando-se este mês 77. E também não houve nenhum livro com uma quantidade de comentários quase estratosférica como aconteceu em novembro. O máximo foram quatro, cabendo a palma a Malerman, a Dick, a Dalcher e a Atwood. Dick, no entanto, destaca-se, pois além desses quatro comentários a um dos seus livros houve mais quatro comentários a outros três. E só mais um autor chegou aos quatro comentários: King, que os distribuiu por duas obras.

E assim se encerra o ano de 2018. Ou não, que ainda vêm aí balanços globais. É só acabar de escrevê-los. E quanto a estes apanhados mensais, em fevereiro cá nos encontramos outra vez. Até lá.

Sem comentários:

Enviar um comentário