domingo, 21 de fevereiro de 2021

Leiturtugas #90

E quem ficou com O Último Extraterrestre do Jorge Borbinha foi a Tita d'O Prazer das Coisas. Parabéns a ela e boas leituras!

Mas esperem: isto é um post de divulgação de Leiturtugas. Há Leiturtugas a divulgar?

Há, pois! Bué delas.

A semana começou, mais uma vez, com o Marco Lopes, que publicou a sua opinião sobre outro dos romances de Allariya, do Filipe Faria. Coube agora a vez a A Essência da Lâmina, o 4º volume, publicado originalmente em 2005 pela Presença, claro. Nada de FC, naturalmente, e o Marco passa a 0c4s.

Depois chegou o Jorge Candeias, este gajo que aqui escreve, com a sua/minha opinião sobre a antologia organizada por Flávio Moreira da Costa com o título de Os Melhores Contos Fantásticos e publicada pela editora brasileira Nova Fronteira em 2006. Um belo calhamaço. E tem FC, muito pouca mas tem, só que não na parte lusófona. Ora, como o que conta é a parte lusófona, conta como "sem FC", pelo que eu passo a sinalefar 2c1s.

No mesmo dia, o Artur Coelho publicou a sua opinião sobre um conto que Mário de Seabra Coelho publicou em inglês já este ano na Strange Horizons, Ootheca. Pelo texto do Artur fiquei com a sensação de que o conto contém alguma FC, embora o foco seja outro, pelo que ele passa a 2c2s.

Dias depois, o Jorge Candeias voltou à carga. Desta vez a opinião foi sobre o Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas, antologia organizada por Jeff Vandermeer e Mark Roberts, com componente lusófona organizada por João Seixas. Foi publicada pela Saída de Emergência em 2010 e sim, tem FC, inclusivamente na parte portuguesa, portanto passei a 3c1s.

Entre os oficiosos, temos uma opinião da Raquel sobre um livro de fantasia chick lit publicado pela Chiado. Como é de norma no subgénero, tem um título de uma palavra só e, para tentar imitar as coisas que vêm lá de fora, essa palavra está na capa em inglês e em português: Broken - Despedaçada. A autora? Tânia Dias.

E quanto às leituras atrasadas, temos em julho o Paulo Brito a apresentar uma opinião de duas linhas, que voltei a hesitar em incluir ou não mas acabei por incluir pelos mesmos motivos por que incluí as outras. Fiquei com a ideia de que se trata de uma história (fotograficamente) ilustrada de David Soares: O Homem Corvo.

Em agosto aparece a Inês Pereira a falar sobre o romance mais polémico de José Saramago, O Evangelho Segundo Jesus Cristo.

O mesmo O Evangelho Segundo Jesus Cristo, do mesmo José Saramago, foi alvo de um post em setembro, agora da Daniela.

Em outubro, encontramos a Katrina a comentar a novela de (ou com) proto-FC de Mário de Sá-Carneiro, A Estranha Morte do Professor Antena.

Também em outubro, a Anabela Risso escreveu sobre um livro de Afonso Cruz cheio de fantástico: O Livro do Ano.

Ainda em outubro, a Maria Manuel Magalhães falou sobre A Rapariga Invisível, romance fantástico de Carlos M. Queirós.

Em novembro apareceu o Pedro Miguel Silva a falar sobre O Mistério da Boca do Inferno, de Fernando Pessoa, que gira em volta do alegado suicídio de Aleister Crowley em Cascais.

Também em novembro, surge o "leitor reconfortado" a comentar 3020: A Conspiração da Atlântida, romance de FC de R. C. Colaço.

E ainda em novembro, a Silvana é mais uma pessoa a falar sobre o conto Correntes, de Patrícia Morais.

Em dezembro, a Inês Morais falou sobre Eroticontos, uma antologia organizada por três canais de booktubers que parece conter algum fantástico.

Sem comentários:

Publicar um comentário