segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Em novembro falou-se de...

Francamente positivo, este mês de novembro, tanto no que toca às leituras de FC portuguesa, quanto no que toca (ou sobretudo no que toca) às de FC brasileira. Mas antes, vamos à conversa habitual dedicada àqueles que encontram pela primeira vez um post destes.

O que é isto, perguntam? Está explicado aqui. É o primeiro destes posts, e aí também se explica de onde vêm os dados, que limitações têm e o que se pretende com estas listas.

Listas, interrogam-se? Sim, que são já muitas e provavelmente virão a ser ainda mais. Todos os posts destes são reunidos pela etiqueta leituras fc, e se por acaso cá caírem depois de começar 2020 é praticamente certo que encontrarão não só as que ficaram para trás como aquelas que eu ainda não escrevi no momento em que aqui desenho estas linhas. E, claro, há estas que estão aqui por baixo.

Vamos então a elas, não sem que antes vos diga que no fim deste post haverá alguns comentários sobre o que aqui fica listado.

Ficção portuguesa:
  1. Almanaque Steampunk 2019, org. ??
  2. Aquilo, de Pedro Afonso (conto)
  3. O Caçador de Brinquedos e Outras Histórias, de João Barreiros (2x)
  4. Terrarium, de João Barreiros e Luís Filipe Silva
  5. Uma Manhã em Lisboa, de Nuno Fonseca (conto)
  6. A Anos-Luz, de Carmen Garcia
  7. Facelist, de Paulo Kellerman (conto)
  8. Reconversão de Excedentes, de Telmo Marçal (conto)
  9. 7 Contos Ilustr.s, org. Fernando Esteves Pinto
  10. O Cão, de Isabel Cristina Pires (conto) 
  11. Imortal, de José Rodrigues dos Santos
  12. Ensayo Sobre la Ceguera, de José Saramago
  13. Na Crista da Onda, de Luís Filipe Silva (conto)
Ficção brasileira:
  1. Histórias (Mais ou Menos) Assustadoras, org. ??
  2. O Primeiro Imortal, de Rodrigo N. Alvarez
  3. Amália Atrás de Amália, de Marco Aqueiva
  4. Jogos de Guerra, de J. M. Beraldo
  5. A Melhor Idade, de C. Nan Bianchi (2x)
  6. Asilo nas Torres, de Ruth Bueno
  7. Sob o Trópico de Capricórnio, de Pedro Carcereri
  8. O Jogo dos Sonhos, de Pedro Carvalho
  9. Serpentário, de Felipe Castilho (5x)
  10. Mestre das Marés, de Roberto de Sousa Causo
  11. As Pirâmides Revolucionárias, de Thunder Dellú
  12. A Eva Mecânica e Outras Histórias de Ginoides, de Daniel I. Dutra
  13. Colonização, de Day Fernandes (2x)
  14. Mundo Sombrio, de Day Fernandes
  15. A Era de Aquária, org. Coletivo Kriptocaipora
  16. Labirinto Digital, de Mario Kuperman
  17. Sete Faces da Ficção Espacial, org. Marcia Kupstas
  18. Operação Meleca Mutante, de Angélica Lopes
  19. Assim na Terra como Embaixo da Terra, de Ana Paula Maia
  20. As Cinco Esposas de Nathan, de Clovis Nicacio (4x)
  21. O Silêncio dos Livros, de Fausto Luciano Panicacci (6x)
  22. Possessão Alienígena, org. Ademir Pascale
  23. A Sorte dos Girinos, de Carlos Patati
  24. O Fruto Maduro da Civilização / O Éter Inconsútil, de Ivan Carlos Regina
  25. Estranha Bahia, org. Ricardo Santos, Rochett Tavares e Alec Silva
  26. Contos Reversos, de Romy Schinzare (2x)
  27. A Torre Acima do Véu, de Roberta Spindler
  28. A Alcova da Morte, de Enéias Tavares, Nikelen Witter e A. Z. Cordenonsi
  29. A Morte e o Meteoro, de Joca Reiners Terron (2x)
  30. As Águas-Vivas não Sabem de Si, de Aline Valek
  31. Viajantes do Abismo, de Nikelen Witter
  32. WOW! O Primeiro Contato, de Pablo Zorzi
Ficção internacional:
  1. Histórias de Fantasmas, org. ??
  2. Mundos Apocalípticos, org. John Joseph Adams
  3. O Poder, de Naomi Alderman
  4. Meg, de Steve Alten
  5. Fundação, Isaac Asimov
  6. O Fim da Eternidade, de Isaac Asimov (3x)
  7. Ponha o Pino A no Furo B, de Isaac Asimov (conto)
  8. Os Testamentos, de Margaret Atwood
  9. Declínio, de Jay Bonansinga
  10. Invasão, de Jay Bonansinga
  11. Raízes do Mal, de Gwenda Bond (2x)
  12. Os Passageiros do Tempo, de Alexandra Bracken
  13. Os Viajantes, de Alexandra Bracken
  14. Farenheit 451, de Ray Bradbury
  15. 4 Contra o Apocalipse, de Max Brallier (4x)
  16. Kindred, de Octavia E. Butler
  17. Ritos de Passagem, de Octavia E. Butler (3x)
  18. Sons da Fala, de Octavia E. Butler (conto)
  19. A Invenção de Morel, de Adolfo Bioy Casares
  20. Richter 10, de Arthur C. Clarke e Mike McQuay
  21. A Esperança, de Suzanne Collins
  22. Jurassic Park, de Michael Crichton
  23. A Cidade dos Espelhos, de Justin Cronin
  24. Recursão, de Blake Crouch
  25. A Máquina Preservadora, de Philip K. Dick
  26. Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, de Philip K. Dick
  27. O Homem do Castelo Alto, de Philip K. Dick
  28. Deus da Fúria, de Philip K. Dick e Roger Zelazny
  29. Man After Man, de Dougal Dixon
  30. Alongamento Vestigial das Vértebras Caudais, de L. Timmel Duchamp (conto)
  31. Angry Candy, de Harlan Ellison
  32. O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry
  33. The World of Tiers, de Philip José Farmer
  34. A Libélula no Âmbar, de Diana Gabaldon
  35. Os Escravos da Górgona, de Curtis Garland
  36. Transformation, de Silviu Genescu (conto)
  37. Neuromancer, de William Gibson
  38. Metro 2033, de Dmitry Glukhovsky
  39. Crianças do Éden, de Joey Graceffa
  40. A Curva do Sonho, de Ursula K. Le Guin
  41. A Mão Esquerda da Escuridão, de Ursula K. Le Guin (3x)
  42. Serotonina, de Michel Houellebecq
  43. À Beira da Eternidade, de Melissa E. Hurst
  44. O Céu de Pedra, de N. K. Jemisin
  45. Farewell Horizontal, de K. W. Jeter
  46. Illuminae, de Amie Kaufman e Jay Kristoff
  47. Flores para Algernon, de Daniel Keyes
  48. O Instituto, de Stephen King (13x)
  49. Belas Adormecidas, de Stephen King e Owen King
  50. A Ascensão do Governador, de Robert Kirkman e Jay Bonansinga
  51. A Queda do Governador, de Robert Kirkman e Jay Bonansinga
  52. Contágio, de David Koepp
  53. A Balada do Black Tom, de Victor Lavalle (2x)
  54. O Ano da Graça, de Kim Liggett
  55. A Cor que Caiu do Céu, de H. P. Lovecraft
  56. Medo Clássico, vol. 1, de H. P. Lovecraft
  57. O Despertar de Cthulhu, de H. P. Lovecraft (3x)
  58. Ladra de Almas, de Sarah J. Maas
  59. Liberta-me, de Tahereh Mafi
  60. Inspeção, de Josh Malerman (2x)
  61. O Começo, org. George R. R. Martin
  62. A Estrada, de Cormac McCarthy
  63. Odyssey, de Jack McDevitt
  64. Máquinas como Eu, de Ian McEwan (2x)
  65. Um Cântico para Leibowitz, de Walter M. Miller, Jr.
  66. Carbono Alterado, de Richard Morgan
  67. A Mulher do Viajante no Tempo, de Audrey Nieffenegger
  68. Quem Teme a Morte, de Nnedi Okorafor
  69. Starters, de Lissa Price
  70. A Chave Maldita, de James Rollins
  71. Em Tempos Havia os Bois..., de Charles W. Runyon (conto)
  72. História Verdadeira, de Luciano de Samóstata
  73. Seres Mágicos & Histórias Sombrias, org. Al Sarrantonio e Neil Gaiman
  74. Mindscan, de Robert J. Sawyer
  75. A Última Colônia, de John Scalzi
  76. Vilão, de V. E. Schwab
  77. Between the Strokes of Night, de Charles Sheffield
  78. Sight of Proteus, de Charles Sheffield
  79. Aniquilação, de Jeff VanderMeer
  80. Assimilação de Tian Shan-Góbi, de Jeff VanderMeer (conto)
  81. Através do Vazio, de S. K. Vaughn
  82. À Volta da Lua, de Jules Verne
  83. A Guerra dos Mundos, de H. G. Wells (2x)
  84. Impostores, de Scott Westerfeld (2x)
  85. A Estrada Subterrânea, de Colson Whitehead
  86. Ascensão da Força Sombria, de Timothy Zahn
  87. Knight of Shadows, de Roger Zelazny
  88. As Horas Vermelhas, de Leni Zumas
Não-ficção brasileira:
  1. Atmosfera Rarefeita, de Alfredo Suppia
Não-ficção internacional:
  1. A Arte do Cinema: Star Wars, de anónimo
  2. Monstros Fabulosos, de Alberto Manguel (2x)
  3. Un Mundo Robot, de Javier Serrano
  4. Stranger Fans, de Joseph Vogel
Ficção internacional relacionada:
  1. The Infinite Future, de Tim Wirkus
Outro mês positivo no que toca à leitura e comentário de FC portuguesa, com o número de títulos a ultrapassar mais uma vez o número que me parece mínimo aceitável. Foram 13, com um deles a ser alvo de dois comentários (ainda que parciais). Claro que podemos olhar para isto de uma forma menos otimista: 6 dos 13 títulos correspondem a contos, uma percentagem muito superior de leituras curtas do que a que os outros grupos de leituras apresentam. Mas sendo mais comum entre nós a publicação de contos (isolados ou em coletânea) do que de romances, não deixa de ser natural que isso aconteça. Os destaques vão para João Barreiros, alvo de duas opiniões isoladas e uma em colaboração, e Luís Filipe Silva, alvo da mesma opinião em colaboração e uma isolada.

Quanto aos brasileiros, esses deram cabo de todos os recordes. 32 títulos ao todo, e nenhum é conto. É obra. Não sei ao certo (teria de ir ver e não estou com paciência), mas creio que este mês de novembro de 2019 é de longe aquele com leituras e comentários mais abundantes na FC brasileira. Tenho memória de um mês com mais de 20, mas nunca chegou aos 30. Já para não falar dos autores mencionados mais que uma vez, com destaque para Felipe Castilho (5 menções), Day Fernandes (3 menções distribuídas por dois títulos), Clovis Nicacio (4 menções) e Fausto Luciano Panicacci (6 menções), ainda que estes dois últimos devam mais agradecimentos ao marketing do que a menções "orgânicas". Suspeito que se passarão muitos meses até voltarmos a números destes.

E se é verdade que costuma acontecer que sempre que a leitura de obras lusófonas cresce a de obras traduzidas (ou na língua original) diminui, não foi isso o que aconteceu no mês passado. Com efeito, não só o número total de títulos, 88, é superior ao do mês anterior, como uma só obra foi alvo de 13 comentários, nada mais, nada menos. Coube a proeza a Stephen King, que ainda teve direito a mais um comentário a outra obra, esta escrita em colaboração. Além dele, os nomes que se destacam das leituras de novembro são Isaac Asimov, com 4 comentários distribuídos por 2 títulos, Max Brallier, também com 4 comentários mas apenas a um título, Octavia E. Butler, ainda com 4 comentários, de novo distribuídos por 2 títulos, Philip K. Dick, com 3 comentários a outros tantos títulos escritos só por ele e um 4ª a outra obra escrita em colaboração, Ursula K. Le Guin, mais uma vez com 4 comentários distribuídos por 2 títulos, e por fim H. P. Lovecraft, com 5 comentários distribuídos por 3 títulos.

E assim termina o último apanhado mensal das leituras lusófonas de FC deste ano de 2019. O próximo só chegará em 2020. Estes apanhados despedem-se até para o ano, portanto, mas eu ainda estou longe de o fazer. Até.

Sem comentários:

Enviar um comentário